Da humilhação dos anos “90” à paranoia de Putin. Cinco respostas para descodificar a guerra na Ucrânia

GettyImages

Da humilhação dos anos “90” à paranoia de Putin. Cinco respostas para descodificar a guerra na Ucrânia

Os seus temas de estudo incluem todos os ingredientes do “cardápio” de guerra: o espaço geográfico pós-soviético, a segurança internacional, o multilateralismo e as relações entre a União Europeia e a Rússia. Cientista política e especialista em Relações Internacionais da Universidade do Minho, Sandra Fernandes já colaborou com a embaixada de Portugal em Moscovo durante as presidências portuguesas da UE (2007 e 2021), foi auditora do Curso de Defesa Nacional (2003-2004) e docente convidada no âmbito de pós-graduações em diversas instituições europeias, entre elas o Instituto Estatal de Relações Internacionais de Moscovo. Em conversa com a VISÃO, a investigadora aceitou descodificar, à luz da História recente, o conflito na Ucrânia.

A guerra estava escrita?

Esta guerra é surpreendente, mesmo para especialistas e para quem acompanha a Rússia há muitos anos. Percebia-se que o país queria enterrar em definitivo toda a evolução da NATO e das organizações internacionais ocidentais da Europa junto das suas fronteiras, mas, com exceção dos EUA, ninguém esperava um conflito a esta escala. É uma decisão de alto risco extremo, cuja racionalidade não é clara. Há motivos profundos, mas estão também muito relacionados com o estilo do presidente russo.

Podemos perguntar: se a Rússia não fosse liderada por Putin, a reação seria igual? As perceções da Rússia face à Europa, sobretudo depois da Guerra Fria, são muito específicas e já eram um facto antes de Putin assumir a liderança, há 22 anos. O território da Rússia é relativamente pequeno face ao que era a sua extensão e o país sempre viu uma série de estados que conquistaram a independência como não sendo propriamente estrangeiros. Sempre teve com eles relações privilegiadas e contava com eles para construir a sua segurança.

A Rússia não é uma democracia, é uma cleptocracia com todo o peso dos oligarcas, forças de segurança, militares e interesses dos grandes grupos económicos. A juntar a esta opacidade, há também que valorizar os traços pessoais da liderança de Putin

Sandra Fernandes

O estilo de Putin não ajudou?

A deriva autoritária por parte de Putin, cuja liderança é muito opaca, agravou o problema. A Rússia não é uma democracia, é uma cleptocracia com todo o peso dos oligarcas, forças de segurança, militares e interesses dos grandes grupos económicos. A juntar a esta opacidade, há também que valorizar os traços pessoais da liderança de Putin.

O seu saudosismo da grandeza soviética, a luta contra o sentimento de humilhação do povo e a ideia de uma Rússia imperial estão sempre presentes na cabeça de Putin que, segundo consta, ficou muito paranoico com o “covid” e vive numa espécie de bunker, o que o mantém ainda mais afastado do seu povo e das realidades.

Sandra Fernandes, investigadora da Universidade do Minho, tem dedicado especial atenção aos territórios da ex-URSS

A humilhação pós-soviética foi o rastilho?

A Rússia estava numa posição de fraqueza na década de 1990. A Rússia do presidente Ieltsin tinha de reconstruir tudo, de se redefinir como nação, de construir uma economia de mercado e um regime democrático. Essa transição foi calamitosa, com crises financeiras gravíssimas que levaram os russos à bancarrota várias vezes. O povo sai do século XX com o sentimento de que a aproximação ao Ocidente trouxe humilhação e não dividendos.

Quando Putin assume o poder, surge com uma vontade de romper a aproximação ao Ocidente que é, na sua perspetiva, pouco vantajosa para a Rússia. Embora tenha mantido quadros de cooperação com os países ocidentais, começou, paulatinamente, em várias dimensões, a não ser tão cooperante. É verdade que houve muita aproximação da União Europeia, da NATO e dos EUA à Rússia do ponto de vista das relações comerciais e culturais, mas nunca se discutiram questões que a Rússia quis sempre discutir. Uma delas é o facto de o país nunca ter olhado para a NATO como organização legítima na Europa: sempre a viu como representativa de um “clube” ao qual não pertence e que ameaça os seus interesses.

O messianismo está presente em quase todos os grandes países, é igual nos EUA. A Rússia também tem a ideia de ser uma civilização única, superior e que pode iluminar o mundo com a sua visão. Putin retomou isso de uma forma muito conservadora, opondo-se os valores tradicionais russos a uma Europa que supostamente corrompeu os seus valores. É no quadro desse pensamento ideológico que se insere a guerra a que estamos a assistir.

O verdadeiro perigo do momento que estamos a viver é o facto de a Rússia já não se ver como um país europeu. A Rússia tem uma matriz europeia, mas tenta redefinir-se como euroasiática, oposta à Europa

sANDRA FERNANDES

Quem tem a culpa?

Cada parte tem de assumir as suas responsabilidades. Se é verdade que Putin se radicalizou, também é verdade que existe uma perceção, por parte das elites russas, de que houve um falhanço da Europa na aproximação à Rússia. O verdadeiro perigo do momento que estamos a viver é o facto de a Rússia já não se ver como um país europeu. A Rússia tem uma matriz europeia, mas tenta redefinir-se como euroasiática, oposta à Europa. Isso está presente nos influenciadores do presidente Putin, em termos de pensamento geopolítico, e é algo que já está a ser muito palpável desde 2015, pelo menos. Houve elementos que falharam na relação da Rússia com a Europa, mas a culpa não é só da Rússia.

Porque é que Putin gera simpatias na esquerda marxista e na extrema-direita?

O traço comum é a crença em modelos de sociedade que não são democráticos e que põem em causa toda a construção do ordenamento internacional, que é o do liberalismo, que tem expressão na democracia. Um dos motivos da obsessão de Putin com a Ucrânia é também o receio de que a liderança pró-ocidental da Ucrânia transforme o país numa democracia saudável e funcional e que isso faça perder completamente a capacidade de influência da Rússia nesse país. É uma linha de pensamento autoritário.

Palavras-chave:

Mais na Visão

Mais Notícias

Quatro romances dos quatro cantos do mundo

Quatro romances dos quatro cantos do mundo

Inspire-se na saia metalizada de Letizia

Inspire-se na saia metalizada de Letizia

Famosos brilham na reabertura de loja de luxo em Cascais

Famosos brilham na reabertura de loja de luxo em Cascais

25 de Abril, 50 anos

25 de Abril, 50 anos

Lisboa através dos tempos na VISÃO História

Lisboa através dos tempos na VISÃO História

Amazon já ‘emprega’ 750 mil robôs. E tem menos 100 mil trabalhadores humanos

Amazon já ‘emprega’ 750 mil robôs. E tem menos 100 mil trabalhadores humanos

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Tarifário da água no Algarve abaixo da média nacional é erro crasso -- ex-presidente da APA

Tarifário da água no Algarve abaixo da média nacional é erro crasso -- ex-presidente da APA

Revelado o destino de lua-de-mel de Dânia Neto

Revelado o destino de lua-de-mel de Dânia Neto

Tempo de espera para rede de cuidados continuados aumentou em 2022

Tempo de espera para rede de cuidados continuados aumentou em 2022

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1625

A VISÃO Se7e desta semana - edição 1625

Zendaya surpreende com visual ousado

Zendaya surpreende com visual ousado

O que os preços do petróleo dizem sobre o conflito no Médio Oriente?

O que os preços do petróleo dizem sobre o conflito no Médio Oriente?

Semana em destaque: Musk volta a gritar

Semana em destaque: Musk volta a gritar "Carro autónomo", mas poucos acreditam

Baga Friends lançam-se no espumante

Baga Friends lançam-se no espumante

Sonos lançar uma aplicação “totalmente renovada”

Sonos lançar uma aplicação “totalmente renovada”

Ensaio ao Renault Scenic E-Tech, o elétrico com autonomia superior a 600 km

Ensaio ao Renault Scenic E-Tech, o elétrico com autonomia superior a 600 km

Descubra 6 pistas para ter no seu jardim os tecidos certos

Descubra 6 pistas para ter no seu jardim os tecidos certos

Vida ao ar livre: guarda-sol Centra

Vida ao ar livre: guarda-sol Centra

Sofia Manuel, a cuidadora de plantas

Sofia Manuel, a cuidadora de plantas

Regantes de Campilhas querem reforçar abastecimento de água e modernizar bloco de rega

Regantes de Campilhas querem reforçar abastecimento de água e modernizar bloco de rega

Dânia Neto abre o álbum de casamento:

Dânia Neto abre o álbum de casamento: "Bolha de amor"

O fenómeno dos creme Cica e por que precisa de um no nécessaire

O fenómeno dos creme Cica e por que precisa de um no nécessaire

Antù: Um lugar aberto a várias artes no Porto

Antù: Um lugar aberto a várias artes no Porto

GNR apreende 42 quilos de meixão em ação de fiscalização rodoviária em Leiria

GNR apreende 42 quilos de meixão em ação de fiscalização rodoviária em Leiria

As férias de Georgina e Cristiano Ronaldo com os filhos

As férias de Georgina e Cristiano Ronaldo com os filhos

Truques para estimular a produção natural de colagénio

Truques para estimular a produção natural de colagénio

Tesla introduz novo Model 3 Performance

Tesla introduz novo Model 3 Performance

Charles-Philippe d’Orléans com a mulher e a filha num programa familiar no ténis

Charles-Philippe d’Orléans com a mulher e a filha num programa familiar no ténis

Luísa Beirão: “Há dez anos que faço programas de ‘detox’”

Luísa Beirão: “Há dez anos que faço programas de ‘detox’”

Rir é com ela!

Rir é com ela!

A reinvenção das imagens

A reinvenção das imagens

Os livros da VISÃO Júnior: Para comemorar a liberdade (sem censuras!)

Os livros da VISÃO Júnior: Para comemorar a liberdade (sem censuras!)

Casas sim, barracas não. Quando o pai de Marcelo Rebelo de Sousa ajudou os ocupantes do Bairro do Bom Sucesso

Casas sim, barracas não. Quando o pai de Marcelo Rebelo de Sousa ajudou os ocupantes do Bairro do Bom Sucesso

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Um novo estúdio em Lisboa para jantares, showcookings, apresentações de marcas, todo decorado em português

Supremo rejeita recurso da Ordem dos Enfermeiros para tentar levar juíza a julgamento

Supremo rejeita recurso da Ordem dos Enfermeiros para tentar levar juíza a julgamento

Capitão Salgueiro Maia

Capitão Salgueiro Maia

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

Conheça os ténis preferidos da Família Real espanhola produzidos por artesãs portuguesas

Conheça os ténis preferidos da Família Real espanhola produzidos por artesãs portuguesas

Exportações de vinho do Dão com ligeira redução em 2023

Exportações de vinho do Dão com ligeira redução em 2023

Em “Cacau”: Regina encontra Cacau à beira da morte

Em “Cacau”: Regina encontra Cacau à beira da morte

Fed e BCE em direções opostas?

Fed e BCE em direções opostas?

Passatempo: ganha convites para 'A Grande Viagem 2: Entrega Especial'

Passatempo: ganha convites para 'A Grande Viagem 2: Entrega Especial'

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites