Emílio Rui Vilar em entrevista “Às vezes, a própria democracia é capaz de engendrar demónios”

Foto: José Carlos Carvalho

Emílio Rui Vilar em entrevista “Às vezes, a própria democracia é capaz de engendrar demónios”

Durante muito tempo, quando tinha de preencher um impresso, escrevia “empregado bancário” no campo da profissão. Agora, põe “gestor”. Mas poderia colocar presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, da Caixa Geral de Depósitos, comissário-geral da Europália ’91, diretor-geral na Comissão Europeia, ministro nos governos provisórios e constitucionais, presidente da SEDES, administrador de empresas ou advogado. Emílio Rui Vilar, 84 anos, foi e fez tudo isso e ainda algumas coisas mais. “A vida foi pródiga em dar-me oportunidades, em colocar-me desafios, que eu aceitei, mesmo se porventura eram demasiado pesados para as minhas forças”, diz. Hoje, é senior advisor da Gulbenkian, onde mantém um gabinete. Foi lá que conversou com a VISÃO sobre o livro-entrevista Memórias de Dois Regimes, em que recorda a infância e adolescência numa família da pequena burguesia do Porto, os estudos universitários, na Faculdade de Direito, em Coimbra, a estreia na organização de atividades culturais, a ida para Lisboa e a participação política na transição do marcelismo para a democracia. Ao desfiar as memórias desse tempo de excessos, assume-se como protagonista da mudança e testemunha de um tempo revolucionário que viveu por dentro – mas que não era bem o seu, já que sempre se considerou um social-democrata.

Antes do 25 de Abril, acreditava numa transição para a democracia com Marcello Caetano ou antevia já uma revolução? Como é que, no início dos anos 70, olhava para o futuro?
A queda física e política de Salazar abriu um clima de grande descompressão e permitiu que se prefigurassem várias hipóteses de transição. Nas memórias, o ex-Presidente Américo Tomás mostrou-se surpreendido com a forma tão pacífica como decorreu a transição do poder para Marcello Caetano. Eu também me pergunto como é que nenhuma força política, designadamente o Partido Comunista (PCP), que era a mais organizada, não fez nada. É evidente que havia um enorme bloqueio por resolver na sociedade portuguesa, que era a guerra no Ultramar, mas recordo-me de um discurso de Marcello Caetano, em setembro de 1970, que dizia: “Não estamos no Ultramar por razões históricas; a História faz-se todos os dias. Não estamos no Ultramar para defender o Ocidente, porque o Ocidente tem muita capacidade para se defender. Não estamos no Ultramar por razões económicas, porque o Ultramar é um peso para a economia da metrópole. Estamos no Ultramar porque há portugueses pretos e brancos que precisam de ser defendidos.” Este discurso foi interpretado como possibilidade de uma solução negociada, mas o próprio Marcello, passados poucos meses, pressionado pelos setores mais radicais do regime, foi a Santa Margarida [campo militar] e disse exatamente o contrário.

Palavras-chave:

Mais na Visão

Mais Notícias

Caras Decoração de fevereiro: tranquilidade e aconchego em primeiro lugar

Caras Decoração de fevereiro: tranquilidade e aconchego em primeiro lugar

Tempos de Antena ‘Miúdos a Votos’: ‘Gravity Falls - Diário 3’

Tempos de Antena ‘Miúdos a Votos’: ‘Gravity Falls - Diário 3’

Black Trumpet: no reino encantado dos cogumelos

Black Trumpet: no reino encantado dos cogumelos

Adesão à greve no Hospital de Cascais ronda os 80%

Adesão à greve no Hospital de Cascais ronda os 80%

Venha conhecer o BYD Seal U

Venha conhecer o BYD Seal U

Celebridades rendem-se às transparências no desfile de Saint Laurent

Celebridades rendem-se às transparências no desfile de Saint Laurent

O avanço da sustentabilidade ambiental nas empresas

O avanço da sustentabilidade ambiental nas empresas

Os Incoerentes: a história de movimento artístico à frente do seu tempo

Os Incoerentes: a história de movimento artístico à frente do seu tempo

Em “Cacau”: Sal destrói festa de apresentação do chocolate de Cacau

Em “Cacau”: Sal destrói festa de apresentação do chocolate de Cacau

Em “Senhora do Mar”: Manuel revela a sua paixão a Joana

Em “Senhora do Mar”: Manuel revela a sua paixão a Joana

Maria Cerqueira Gomes vive experiência enriquecedora na Suíça

Maria Cerqueira Gomes vive experiência enriquecedora na Suíça

Investigadores descobrem nova ligação entre água e a formação de planetas

Investigadores descobrem nova ligação entre água e a formação de planetas

Bruxelas autoriza ajudas estatais de 350 ME de Portugal para equipamentos 'verdes'

Bruxelas autoriza ajudas estatais de 350 ME de Portugal para equipamentos 'verdes'

Famalicão gastou 500 mil euros na destruição de 8 mil ninhos de vespa asiática

Famalicão gastou 500 mil euros na destruição de 8 mil ninhos de vespa asiática

VOLT Live: como aumentar a competitividade e concorrência no mercado do carregamento de veículos elétricos

VOLT Live: como aumentar a competitividade e concorrência no mercado do carregamento de veículos elétricos

A transformação no segmento do Renting & Frotas

A transformação no segmento do Renting & Frotas

O algoritmo do amor

O algoritmo do amor

Alimentos ultraprocessados ligados a 32 efeitos negativos na saúde

Alimentos ultraprocessados ligados a 32 efeitos negativos na saúde

Portugal visto pelos estrangeiros

Portugal visto pelos estrangeiros

Esplanada, comida asiática e preços democráticos no Street Chow

Esplanada, comida asiática e preços democráticos no Street Chow

A elegância de Rania num vestido étnico

A elegância de Rania num vestido étnico

6 ideias para este fim de semana no Porto

6 ideias para este fim de semana no Porto

VISÃO SE7E: Entre vinhas renascidas, jantares com cariz social e compras sustentáveis

VISÃO SE7E: Entre vinhas renascidas, jantares com cariz social e compras sustentáveis

Em “Flor Sem Tempo”: Luís Maria tenta estrangular Catarina

Em “Flor Sem Tempo”: Luís Maria tenta estrangular Catarina

J. L. Barreto Guimarães, Poesia para médicos

J. L. Barreto Guimarães, Poesia para médicos

Juan Vicente Piqueras, Caçador de instantes

Juan Vicente Piqueras, Caçador de instantes

Renováveis abasteceram 88% do consumo de eletricidade em fevereiro - REN

Renováveis abasteceram 88% do consumo de eletricidade em fevereiro - REN

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Filipe I de Portugal, por fim

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Filipe I de Portugal, por fim

Roupa em segunda mão: As novas lojas de Lisboa e do Porto

Roupa em segunda mão: As novas lojas de Lisboa e do Porto

Montenegro em defesa de Oliveira e Sousa considera que há

Montenegro em defesa de Oliveira e Sousa considera que há "zonas de fanatismo ambiental"

Frunk.at em testes: um porta-bagagens extra para o seu carro elétrico

Frunk.at em testes: um porta-bagagens extra para o seu carro elétrico

Um debate muito concorrido

Um debate muito concorrido

O luxo da viagem de Georgina com os filhos

O luxo da viagem de Georgina com os filhos

Apartamento em Cascais: sobriedade contemporânea

Apartamento em Cascais: sobriedade contemporânea

Elegância intemporal: O charme do casaco de 'tweed' Chanel

Elegância intemporal: O charme do casaco de 'tweed' Chanel

Dior e o revivalismo da década de 1960 na passarela

Dior e o revivalismo da década de 1960 na passarela

O ‘street style’ que nos traz ideias para novos 'looks'

O ‘street style’ que nos traz ideias para novos 'looks'

Como organizar a votação

Como organizar a votação

Miranda Sarmento: “Não é difícil pôr a economia portuguesa a crescer acima de 3%”

Miranda Sarmento: “Não é difícil pôr a economia portuguesa a crescer acima de 3%”

Aos 53 anos, Naomi Campbell é rainha da

Aos 53 anos, Naomi Campbell é rainha da "passerelle" em Milão

Maria Teresa e Stéphanie do Luxemburgo exibem tiaras deslumbrantes

Maria Teresa e Stéphanie do Luxemburgo exibem tiaras deslumbrantes

Frunk.at em testes: um porta-bagagens extra para o seu carro elétrico

Frunk.at em testes: um porta-bagagens extra para o seu carro elétrico

Conforto e muita luz, num apartamento em São Paulo, Brasil

Conforto e muita luz, num apartamento em São Paulo, Brasil

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Elvas, capital do Império onde o sol nunca se põe

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Elvas, capital do Império onde o sol nunca se põe

Artur Jorge: o exercício físico da poesia

Artur Jorge: o exercício físico da poesia

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites