Anushka, a artista alemã que deixa mensagens poéticas em colchões abandonados

Anushka, a artista alemã que deixa mensagens poéticas em colchões abandonados

A alemã Anuskha anda há dois anos a deixar mensagens poéticas em colchões abandonados. Encontra-os, trabalha-os, fotografa-os e divulga essas imagens numa conta de Instagram que vale a pena conhecer, a @dear.anuskha. O projeto é a soma de várias paixões, a fotografia, o teatro e a poesia, que se juntaram de forma quase acidental. “So this is Christmas and what have you done? War is not over and the next already begun”, ou “Break my heart and serve me a drink”, são duas das mais de duzentas frases que Anushka já pintou em colchões espalhados por todo o país. A matéria de trabalho fica no local, mas as fotografias são colecionadas e já deram origem a uma primeira exposição a solo, Chaos, stains, and stupid feelings, a mattress collection of longing for lovers & losers, inaugurada a 13 de janeiro na galeria Little Chelsea, em Lisboa, e que está patente até dia 10 de março. Um mês depois, integrou uma nova exposição coletiva na galeria Plato, em Évora, para onde levou um colchão pintado com uma lata de tinta.

Anushka, de 41 anos, é natural da Alemanha e mora em Portugal há seis anos. Viveu cinco anos entre a Zambujeira do Mar e São Luís – “podia ouvir o oceano da minha cama” – e há cerca de um, elegeu Lisboa para ficar. Ainda antes da sua chegada a Portugal, frequentou a escola de representação, depois estudou Arte e Música com ênfase na Fotografia e no Canto, assim como Literatura Alemã e tanto antes, como durante os estudos, trabalhou como jornalista. Quando acabou de estudar, decidiu mudar de rumo e seguir teatro. Na verdade, “eu queria ser atriz, mas não me tornei atriz”, trabalhando antes como assistente de diretora de palco no Deutsches Theater, em Berlim, até a vida a trazer rumo a Portugal.     

Uma das suas obras, fotografada pela própria

Atualmente, é mãe, gere contas nas redes sociais, pontualmente faz traduções e escreve poemas, sobretudo na língua com que se sente mais confortável, o alemão. “No meu coração, sou poeta.” Acredita que os poemas não devem ser traduzidos, pois assim, diz, “perdemos toda a beleza das palavras”. E foi neste contexto que, de forma não intencional, desenvolveu um projeto artístico feito em colchões. 

Fotografia de Anushka, de março de 2023

Tudo começou com um colchão abandonado por uns amigos e uma lata de tinta. Viviam-se tempos de pandemia, os amigos estavam no Alentejo e o colchão encontrava-se “encostado à parede”, relembra. “Eu vi-o e era um dia estanho, cinzento, frio e senti que lhe gostaria de dar uma voz, poderia simplesmente escrever qualquer coisa.” Por mero acaso ou destino, os seus amigos também tinham uma lata de tinta e, sem saber muito bem ainda que palavras usar, escreveu algo que naquela altura lhe fez sentido. “Foi o meu primeiro colchão e desde aí que ando sempre com uma lata de tinta na mala”. 

Fotografia de Anushka com o seu cão Cheesey

Mas afinal, porquê colchões? “Preocupa-me o mundo, o lixo e a poluição que estamos a fazer, nunca seria capaz de deixar um colchão na natureza”. Para além disto, fascina-se por certos objetos, exemplo da máquina de escrever que usa regularmente. “Nunca gostei da minha letra, por isso comecei a escrever em máquinas de escrever, não queria que a minha letra influenciasse a minha forma de pensar ou de sentir, o que foi uma liberdade”. Porém, “sou uma colecionadora” e por isso tem mais de quarenta máquinas de escrever diferentes. “Se eu gostar de um objeto, preciso de ter uma série deles, apenas um, não faz sentido”. Os colchões não foram exceção. São os pormenores nos colchões portugueses que a fascinam, “são lindíssimos, os colchões portugueses. Para mim, como objetos, são peças de arte”. Encantam-lhe as suas variadas texturas e padrões, com flores miudinhas e botões, “às vezes levemente dourados”, outras vezes rosados. No entanto, por falta de espaço não os pode levar para casa. Na sua mais recente exposição em Évora, está exibido um colchão que foi encontrado, pintado e fotografado no Templo Diana.

Colchão exposto na galeria Plato, encontrado na cidade de Évora e fotografado em frente do Templo Diana
Um dos colchões até agora preferidos de Anushka pelos seus múltiplos e indescritíveis pormenores

Sem os procurar, os colchões encontram-na e Anushka, com o material sempre à mão, pinta-os, fotografa-os e deixa-os no mesmo local, “simplesmente encontro-os e deixo-os onde os encontrei”. Aquilo que neles escreve é criação sua e “depende da situação, às vezes tenho uma coleção de palavras e frases na minha cabeça ou no meu telemóvel, outras vezes encontro os colchões num contexto muito particular ou ainda pode depender totalmente do colchão em si”. Esta é a técnica sem técnica da Anushka, ela não pretende alterar o natural, mas sim moldar-se àquilo que o natural e o inevitável proporcionam. A primeira e única vez em que Anushka moveu de forma propositada um colchão de sítio, foi por ter encontrado o colchão perto da praia e ter pensado “consigo fazer uma fotografia melhor”. Então, “coloquei o colchão esborrachado dentro do carro, conduzi até à praia e encontrei uma rapariga que passava no parque de estacionamento e pedi-lhe que se pusesse atrás do colchão e o segurasse para poder tirar uma fotografia”.   

“Para mim é como se fosse um momento íntimo, quando os vejo na rua, nus, expostos, têm historias, têm tanto para contar, gosto de lhes dar uma voz que eles possam de facto ter”. E Anushka sempre acompanhada pelo seu cão Cheesy e pela sua mala com latas de tinta, escolhe sempre percorrer a cidade de Lisboa a pé na esperança de ser surpreendida por aquilo que não procura, mas que acaba por encontrar.   

Anushka e o seu fiel companheiro Cheesey

*Texto de Mia Shore

Mais na Visão

Mais Notícias

Medicamento produzido no espaço regressa em segurança para a Terra

Medicamento produzido no espaço regressa em segurança para a Terra

Os ténis da VEJA já se produzem em Felgueiras

Os ténis da VEJA já se produzem em Felgueiras

Artur Jorge despede-se da filha, Francisca

Artur Jorge despede-se da filha, Francisca

INEM tem até 15 de março para chegar a acordo com Liga dos Bombeiros

INEM tem até 15 de março para chegar a acordo com Liga dos Bombeiros

J. L. Barreto Guimarães, Poesia para médicos

J. L. Barreto Guimarães, Poesia para médicos

Marie mudou de visual e revela estar mais serena: “Bati no fundo”

Marie mudou de visual e revela estar mais serena: “Bati no fundo”

O Vento Assobiando nas Gruas, entrevista com Jeanne Waltz

O Vento Assobiando nas Gruas, entrevista com Jeanne Waltz

Dos idos de Março 62 às eleições de Março 24

Dos idos de Março 62 às eleições de Março 24

Os 10 melhores vestidos da passadeira vermelha dos SAG

Os 10 melhores vestidos da passadeira vermelha dos SAG

PLAY: Cinco momentos a não perder no Festival de Cinema Infantil e Juvenil

PLAY: Cinco momentos a não perder no Festival de Cinema Infantil e Juvenil

Quiz VISÃO Se7e: 10 perguntas para testar a sua cultura geral

Quiz VISÃO Se7e: 10 perguntas para testar a sua cultura geral

Urso polar: um animal único

Urso polar: um animal único

Moradores de Pisão, no Alentejo, inquiridos sobre nova adeia antes de avançar barragem

Moradores de Pisão, no Alentejo, inquiridos sobre nova adeia antes de avançar barragem

VOLT Live: como aumentar a competitividade e concorrência no mercado do carregamento de veículos elétricos

VOLT Live: como aumentar a competitividade e concorrência no mercado do carregamento de veículos elétricos

Aos 53 anos, Naomi Campbell é rainha da

Aos 53 anos, Naomi Campbell é rainha da "passerelle" em Milão

Consumo urbano de água em janeiro no Algarve sobe 4,6% face a 2023

Consumo urbano de água em janeiro no Algarve sobe 4,6% face a 2023

A Interdecoração está de volta à Exponor

A Interdecoração está de volta à Exponor

Milhares de pessoas protestaram nas ruas de São Paulo por Bolsonaro: as imagens da manifestação que pintou a cidade de amarelo

Milhares de pessoas protestaram nas ruas de São Paulo por Bolsonaro: as imagens da manifestação que pintou a cidade de amarelo

EUA lideram coligação contra a desinformação de governos estrangeiros

EUA lideram coligação contra a desinformação de governos estrangeiros

Na próxima primavera vai ser difícil tirar as carteiras do ombro

Na próxima primavera vai ser difícil tirar as carteiras do ombro

Recorde o casamento de Chiara Ferragni

Recorde o casamento de Chiara Ferragni

769, 265 e 409. Os números esmagadores com que a Nvidia, “a cotada mais influente do mundo”, deu a volta a Wall Street

769, 265 e 409. Os números esmagadores com que a Nvidia, “a cotada mais influente do mundo”, deu a volta a Wall Street

Ter sempre uma garrafa de água por perto é mesmo uma opção saudável? Sim, mas...

Ter sempre uma garrafa de água por perto é mesmo uma opção saudável? Sim, mas...

Joana Diniz confirma que voltou para Flávio Miguel - Casamento será este ano!

Joana Diniz confirma que voltou para Flávio Miguel - Casamento será este ano!

Tesla Model 3 'Highland' em teste: Este carro devia ser mais caro…

Tesla Model 3 'Highland' em teste: Este carro devia ser mais caro…

Cartazes à vista!

Cartazes à vista!

Em “Senhora do Mar”: Artur pede a Alberto que fique à frente do hotel

Em “Senhora do Mar”: Artur pede a Alberto que fique à frente do hotel

Inspire-se no

Inspire-se no "look" de Meghan Markle

Doentes dos Hospitais de Coimbra começaram hoje a votar

Doentes dos Hospitais de Coimbra começaram hoje a votar

Instagrammer confessa ter enviado peças de mísseis e de drones para a Rússia

Instagrammer confessa ter enviado peças de mísseis e de drones para a Rússia

Corpo encontrado hoje em Lisboa é o de mulher desaparecida em dezembro de hospital

Corpo encontrado hoje em Lisboa é o de mulher desaparecida em dezembro de hospital

Apartamento em Cascais: sobriedade contemporânea

Apartamento em Cascais: sobriedade contemporânea

O outono/inverno 2024/2025 de Dolce & Gabbana inspirado no estilo

O outono/inverno 2024/2025 de Dolce & Gabbana inspirado no estilo "Mob Wife"

As Revoluções Francesas na VISÃO História

As Revoluções Francesas na VISÃO História

A história da imagem que valeu a Nuno Sá o prémio de Fotógrafo de Conservação do Ano em concurso britânico

A história da imagem que valeu a Nuno Sá o prémio de Fotógrafo de Conservação do Ano em concurso britânico

Elisabetta Franchi eterniza estética

Elisabetta Franchi eterniza estética "tomboy" em Milão

Fundos Comunitários: Celeridade do Estado é vital para setor empresarial

Fundos Comunitários: Celeridade do Estado é vital para setor empresarial

Dois novos efeitos secundários muito raros ligados a vacina contra a Covid-19 identificados em grande estudo mundial

Dois novos efeitos secundários muito raros ligados a vacina contra a Covid-19 identificados em grande estudo mundial

Penélope Cruz deslumbra na passadeira dos SAG Awards

Penélope Cruz deslumbra na passadeira dos SAG Awards

Tempos de Antena ‘Miúdos a Votos’: ‘A Viúva e o Papagaio’

Tempos de Antena ‘Miúdos a Votos’: ‘A Viúva e o Papagaio’

Encha a casa de verde, inspire-se na Natureza

Encha a casa de verde, inspire-se na Natureza

José Neves assume liderança da sua Fundação após saída da Farfetch

José Neves assume liderança da sua Fundação após saída da Farfetch

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Elvas, capital do Império onde o sol nunca se põe

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Elvas, capital do Império onde o sol nunca se põe

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Filipe I de Portugal, por fim

Os lugares desta História, com Isabel Stilwell: Filipe I de Portugal, por fim

Novo Dacia Spring: mais por menos

Novo Dacia Spring: mais por menos

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites