Na primeira pessoa: “Diziam-me: ‘Se não emagreceres, nunca vais encontrar alguém que goste de ti.’ Durante muito tempo acreditei nisso”

Na primeira pessoa: “Diziam-me: ‘Se não emagreceres, nunca vais encontrar alguém que goste de ti.’ Durante muito tempo acreditei nisso”

A minha relação com a comida sempre foi conturbada. Na minha família paterna havia casos de obesidade. Quando nasci, era um bebé muito grande e os médicos alertaram a minha mãe para ter cuidado com a minha alimentação. Ela ficou preocupadíssima, o que levou a um controle enorme daquilo que eu comia. Como estava constantemente a ser controlada, comia quando estava sozinha. Desenvolveu-se uma compulsão alimentar e cheguei a ter períodos bulímicos.

Da minha adolescência até aos 22 anos, fiz dietas atrás de dietas, de todo o tipo. Havia uma autossabotagem constante, os resultados não eram suficientes, os meus pais gastavam imenso dinheiro e estávamos sempre a discutir. Quis então aprender a ter uma alimentação sustentável, mas sem comprimidos, xaropes e bebidas. Se queria curar a minha relação com a comida, tinha de me concentrar nela. Melhorei bastante, mas havia toda a questão psicológica, a compulsão ainda estava muito presente.

Mais tarde, percebi que não estava bem psicologicamente e a relação com a comida era apenas um sintoma. Tinha de resolver uma série de coisas que estavam enterradas, como a relação que tinha com a minha mãe. Ela é uma mulher elegante, bonita e carismática, o verdadeiro padrão estético. Quando outras pessoas nos viam juntas, diziam que eu era parecida com o meu pai e ficava muito triste com essa observação. Era uma miúda introvertida, absorvia os comentários negativos e não respondia. Quanto mais me calava, parecia que mais o meu corpo queria aparecer. Sentia-me perdida. Cheguei aos 28 anos e não sabia quem era, orientava-me por aquilo que os outros diziam.

Mais compaixão

Conheci uma autora, a Melissa Wells, cujo livro foi a minha maior inspiração [The Goddess Revolution: Food and Body Freedom for Life]. Foi o rastilho de tudo, que me fez perceber que podia gostar do meu corpo, independentemente do que as outras pessoas pensavam, e cuidar bem dele. Foi então que comecei a partilhar os meus pensamentos nas redes sociais. Curiosamente, chego a pessoas de todos os pesos, porque a questão da autoestima é transversal. Recentemente, escrevi um livro sobre a minha jornada de amor-próprio, que vai ser publicado em março, com algumas dicas e a história dos movimentos de libertação do corpo.

Ganhei a minha voz. Não me identifico com a conotação negativa que dão aos influenciadores digitais, sinto que as minhas ações têm um efeito muito positivo, por exemplo, quando mostro uma fotografia na praia de biquíni. As referências em Portugal, de alguém que não corresponde ao padrão de beleza, mas que também concretiza coisas na vida e é feliz, não eram muitas. Trabalhei ainda como modelo plus size, mas há poucas oportunidades para mulheres do meu tamanho. A moda começa a consciencializar-se para esta diversidade, mas ainda com limitações. Desliguei-me um pouco desse mundo.

O corpo da mulher gorda sempre foi visto de uma forma negativa. Há a ideia da preguiça, da falta de vontade, do desleixo. Muitas vezes, os médicos são os nossos maiores agressores. Sempre que vou a uma consulta, tenho de me preparar mentalmente e de me informar sobre os meus direitos, porque posso ter de sair de lá direta para fazer uma reclamação. Isto não é normal

Quando fui capa da revista Cristina, em 2019, a minha página ganhou mais dez mil seguidores. A experiência foi empoderadora. Não banalizo a nudez, naquele caso ajudou a passar a mensagem. Tenho familiares que lutaram pela liberdade da mulher e senti aquilo como algo geracional. Foi uma espécie de afronta para a sociedade em que vivemos e um bom ponto de partida para a discussão. Nunca me arrependi de a fazer. Tive comentários péssimos, chamaram-me vaca leiteira, disseram que a minha família era disfuncional, que não me podia queixar se depois fosse violada. Houve inclusive profissionais de saúde que utilizaram a minha imagem e me acusaram de promover a doença e a morte. Tive de deixar de ler o que se escrevia nas redes sociais. Foi um episódio importante, que me fez definir os limites, em prol da minha saúde mental. Sou aberta à discussão de ideias, mas não aceito ataques na minha página, bloqueio-os logo.

O corpo da mulher gorda sempre foi visto de uma forma negativa. Há a ideia da preguiça, da falta de vontade, do desleixo. São temas que devem ser abordados com sensibilidade. Muitas vezes, os médicos são os nossos maiores agressores, dizem que estamos a destruir-nos. Sempre que vou a uma consulta, tenho de me preparar mentalmente e de me informar sobre os meus direitos, porque posso ter de sair de lá direta para fazer uma reclamação. Isto não é normal. Há pessoas que assumem a premissa de que, por terem uma vida equilibrada e saudável, são moralmente superiores. Mas isso não lhes dá o direito de atacarem as outras pessoas.

O que mais me marcou foi ouvir de pessoas próximas “se não emagreceres, nunca vais encontrar alguém que goste de ti verdadeiramente” ou “não vais encontrar o teu trabalho de sonho”. Há a pressão de ter uma certa imagem para poder ser aceite ou ser levada a sério. Muitas pessoas pensam que não merecem ser amadas, e durante muito tempo também pensei assim. Estes comentários, ditos como forma de motivar, podem traumatizar e destruir a autoestima. Felizmente, consegui mudar a opinião dos que me rodeavam.

Hoje, a minha relação com o espelho não é de aceitação total, mas é de maior compaixão. Tomo decisões mais conscientes, baseadas no amor que tenho por mim e não no ódio que tenho pelo meu corpo. A aceitação também é o encarar da realidade em que estamos para podermos continuar.

Atualmente, estou a pensar em iniciar o processo da cirurgia bariátrica, porque o peso começa a ter impacto no meu bem-estar e na minha mobilidade. Já o fiz uma vez, mas fui tão maltratada pela médica que desisti. Tenho a noção de que, a partir de um certo peso, é muito difícil perdê-lo de forma sustentada. A bariátrica acaba por ser um reset ao sistema. Continuo a ser acompanhada por uma nutricionista e por uma psicóloga e o objetivo é encontrar um equilíbrio na relação com a comida.

Mais na Visão

Mais Notícias

Sónia obriga produção a mudar planos após bronca em “Casados à Primeira Vista”

Sónia obriga produção a mudar planos após bronca em “Casados à Primeira Vista”

A importância da Formação de Executivos

A importância da Formação de Executivos

Adoçante comum presente em pastilhas elásticas e até pastas dentífricas associado a duplicação do risco de AVC e enfarte

Adoçante comum presente em pastilhas elásticas e até pastas dentífricas associado a duplicação do risco de AVC e enfarte

EXAME de junho: Quais as regiões que mais exportam?

EXAME de junho: Quais as regiões que mais exportam?

Vídeo: Vê aqui o espetáculo de 'Miúdos a Votos' 2024

Vídeo: Vê aqui o espetáculo de 'Miúdos a Votos' 2024

Os planos da Stellantis para criar um ecossistema de software para os carros

Os planos da Stellantis para criar um ecossistema de software para os carros

João Paulo Esteves da Silva - O piano e todas as margens

João Paulo Esteves da Silva - O piano e todas as margens

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

Jl 1401

Jl 1401

Quis Saber Quem Sou: Será que

Quis Saber Quem Sou: Será que "ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais?"

Nova app MyHyundai até vai mostrar vídeos das intervenções técnicas

Nova app MyHyundai até vai mostrar vídeos das intervenções técnicas

Dicas para fazer com que o seu perfume dure mais tempo na pele

Dicas para fazer com que o seu perfume dure mais tempo na pele

Alpine A290: elétrico, tecnológico… e endiabrado

Alpine A290: elétrico, tecnológico… e endiabrado

Está a ‘acordar’ um buraco negro massivo numa galáxia próxima

Está a ‘acordar’ um buraco negro massivo numa galáxia próxima

Recorde a coroação de Felipe VI e Letizia de Espanha no dia do 10.º aniversário de reinado

Recorde a coroação de Felipe VI e Letizia de Espanha no dia do 10.º aniversário de reinado

10

10 "looks" de Letizia com ténis

Como as poeiras do Saara podem ajudar a impedir furacões

Como as poeiras do Saara podem ajudar a impedir furacões

Ronaldo compra participação na Vista Alegre e vai levar a marca para a Ásia

Ronaldo compra participação na Vista Alegre e vai levar a marca para a Ásia

Salgueiro Maia, o herói a contragosto

Salgueiro Maia, o herói a contragosto

Comer em Lisboa: restaurante Kabuki

Comer em Lisboa: restaurante Kabuki

Moda: 20 cestas para usar no dia a dia

Moda: 20 cestas para usar no dia a dia

Volta a Portugal com as receitas da Marlene Vieira

Volta a Portugal com as receitas da Marlene Vieira

Portugal esgota hoje os recursos deste ano e começa a usar os de 2025

Portugal esgota hoje os recursos deste ano e começa a usar os de 2025

Zona: Três mitos sobre esta doença que pode ser incapacitante

Zona: Três mitos sobre esta doença que pode ser incapacitante

Navegando rumo ao futuro digital do oceano

Navegando rumo ao futuro digital do oceano

David e Ivo emitem comunicado após suspeita de “mentira” em “Casados À Primeira Vista”

David e Ivo emitem comunicado após suspeita de “mentira” em “Casados À Primeira Vista”

Baseus AeQur G10 em teste: Versatilidade futurista

Baseus AeQur G10 em teste: Versatilidade futurista

25 peças para receber a primavera em casa

25 peças para receber a primavera em casa

inCentea: “Distinguimo-nos pela capacidade de integrar a IA com sistemas existentes”

inCentea: “Distinguimo-nos pela capacidade de integrar a IA com sistemas existentes”

Oficina do Cego: Aprender as artes gráficas, da serigrafia à tipografia

Oficina do Cego: Aprender as artes gráficas, da serigrafia à tipografia

Letizia e Felipe VI celebram 10 anos de reinado

Letizia e Felipe VI celebram 10 anos de reinado

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Vencedores e vencidos do 25 de Abril na VISÃO História

Sete livros infantis para levar na mala das férias

Sete livros infantis para levar na mala das férias

Novo estudo científico revela que o cérebro tenta prever o futuro enquanto se encontra em repouso

Novo estudo científico revela que o cérebro tenta prever o futuro enquanto se encontra em repouso

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Pigmentarium: perfumaria de nicho inspirada na herança cultural da República Checa

Onde ficar em Lisboa: Torel Palace

Onde ficar em Lisboa: Torel Palace

Os 500 anos de Camões

Os 500 anos de Camões

8 ideias para usar as calças de ganga tendência deste ano

8 ideias para usar as calças de ganga tendência deste ano

Mulheres confiantes antecipam o verão em fim de tarde à beira-mar

Mulheres confiantes antecipam o verão em fim de tarde à beira-mar

Vídeo: A festa final de 'Miúdos a Votos' na Gulbenkian

Vídeo: A festa final de 'Miúdos a Votos' na Gulbenkian

A La Redoute Intérieurs apresentou a sua nova coleção em Paris

A La Redoute Intérieurs apresentou a sua nova coleção em Paris

15 tendências de moda que vimos no Rock in Rio

15 tendências de moda que vimos no Rock in Rio

No regresso aos vestidos e às sandálias, Letizia usa fitas cinesiológicas

No regresso aos vestidos e às sandálias, Letizia usa fitas cinesiológicas

Alexandra e Flávio de

Alexandra e Flávio de "Casados à Primeira Vista" juntos nos Santos Populares: "Viemos namorar"

Vídeo: Uma conversa sobre eleições com Rita Canas Mendes

Vídeo: Uma conversa sobre eleições com Rita Canas Mendes

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites