Em contrarrelógio para salvar os cavalos-marinhos da ria Formosa

Em contrarrelógio para salvar os cavalos-marinhos da ria Formosa

Em poucos anos passámos de uma comunidade com quase dois milhões de cavalos-marinhos na ria Formosa, de longe a maior densidade populacional em todo o mundo, para pouco mais de 150 mil indivíduos. A devastação foi de tal ordem − em menos de duas décadas − que seria necessária uma dose extra de fé para acreditar no milagre da multiplicação destes peixes. No entanto, Miguel Correia, investigador do Centro de Ciências do Mar (CCMar) da Universidade do Algarve, acredita que temos razões para estar otimistas. Justifica-o com a criação de duas zonas de proteção na ria: “Uma coisa fantástica, que nunca pensei que pudesse vir a acontecer.

Não é fácil descobrir um cavalo-marinho na Natureza. São animais extremamente pequenos, com uma capacidade de camuflagem impressionante. “É como encontrar o Wally”, brinca. Depois de incontáveis mergulhos à sua procura, Miguel realizou os últimos censos à população na ria, consagrando os seus dias a estudar o pequeno peixe. Coordena também, a nível europeu, as ações no âmbito da União Internacional para a Conservação da Natureza.

Mas o que se passou, então, para chegarmos a um panorama tão desolador? Como se formou o que nas palavras do biólogo foi uma “tempestade perfeita”, que atingiu tão fortemente a população de cavalos-marinhos na ria?

Miguel Correia durante um trabalho de campo na ria Formosa.

Parte da explicação encontra-se nas alterações climáticas, e no consequente aumento da temperatura das águas, que trouxe duas espécies invasoras: o caranguejo-azul do Mediterrâneo, um dos poucos (potenciais) predadores dos cavalos-marinhos, e uma alga que veio competir com as pradarias, o habitat natural da espécie. “O nome científico é Caulerpa prolífera, o que dá uma boa ideia da sua capacidade para se expandir.” Porém nada bate a ação direta do homem, começando pelo “excesso de tráfego marítimo, sobretudo na altura do verão, quando inúmeros barcos fundeiam em zonas de pradaria e destroem ainda mais o habitat com as suas âncoras”, e terminando na pesca ilegal, responsável “pelo desaparecimento de centenas de milhares de indivíduos”.

Estima-se que todos os anos sejam mortos 70 milhões de cavalos-marinhos no mundo − para alimentar a procura crescente da medicina tradicional chinesa, que utiliza estes animais para curar maleitas como a asma e à impotência sexual. Na ria Formosa, o alerta soou em 2016, quando surgiram os primeiros relatos de “pescadores que se vangloriaram de terem apanhado 400 e 500 cavalos-marinhos”. Relatos rapidamente confirmados por apreensões, algumas até em Espanha. “Antigamente”, conta o investigador do CCMar, “existia a tradição de secar e oferecer como amuleto, mas nunca houve o propósito específico de os apanhar”.

No laboratório do CCMar, na Universiade de Faro, onde faz a criação de cavalos marinhos.

Alertada para o problema em 2018, a Fundação Oceano Azul montou uma campanha de sensibilização (que tem Miguel Correia como consultor científico) junto da população local, “procurando sempre incluir todos os intervenientes”, as empresas marítimo-turísticas, os pescadores, “que na sua maioria nunca aderiram a este comércio ilegal”, a autoridade marítima, os municípios, o CCMar, o Instituto da Conservação da Natureza e a Agência Portuguesa do Ambiente. “Conseguimos montar um projeto com um alcance abrangente” e o início de uma ação que levou à criação das duas zonas protegidas, onde os cavalos-marinhos terão todas as condições para prosperar. O trabalho de base está feito e “os sinais de mobilização das populações” e a “crescente preocupação dos municípios com a proteção da biodiversidade” justificam o otimismo de Miguel Correia, de que ainda será possível recuperar as populações na ria Formosa.

O objetivo agora será tentar mapear toda a costa portuguesa (São Miguel, nos Açores, Sesimbra, os estuários do Sado, do Tejo e a ria de Aveiro são alguns dos locais já identificados) e juntar esses dados aos de outras regiões no Atlântico e no Mediterrâneo onde também existem as duas espécies presentes em Portugal. Isto irá permitir à União Internacional para a Conservação da Natureza definir um estatuto de proteção − algo que estranhamente ainda não acontece “precisamente por não existirem dados suficientes”. A classificação parece urgente, basta recordar, como Miguel fez, um mergulho feito em 2012 onde encontrou mais de 120 cavalos-marinhos, “mais recentemente voltei a esse local e já só restava um!”

Oceano de Esperança é um projeto da VISÃO em parceria com a Rolex, no âmbito da sua iniciativa Perpetual Planet, para dar voz a pessoas e a organizações extraordinárias que trabalham para construir um planeta e um futuro mais sustentáveis. Saiba mais sobre esta missão comum.

Mais na Visão

Mais Notícias

O futuro começou esta noite. Como foi preparado o 25 de Abril

O futuro começou esta noite. Como foi preparado o 25 de Abril

MBA 2.0: Liderança na era digital

MBA 2.0: Liderança na era digital

Rui Cardoso Martins: “Este livro reflete uma grande convicção de que a vida triunfa”

Rui Cardoso Martins: “Este livro reflete uma grande convicção de que a vida triunfa”

Sebastião da Gama - Carne e espírito na Arrábida

Sebastião da Gama - Carne e espírito na Arrábida

TCL 50 5G em teste: Um smartphone prático e com um preço 'amigável'

TCL 50 5G em teste: Um smartphone prático e com um preço 'amigável'

Guia de essenciais de viagem para a sua pele

Guia de essenciais de viagem para a sua pele

Em São Paulo, uma casa com ambientes luminosos e integrados

Em São Paulo, uma casa com ambientes luminosos e integrados

As subidas dos preços das casas explicadas em cinco gráficos

As subidas dos preços das casas explicadas em cinco gráficos

Reciclagem de embalagens: pode brincar-se com temas sérios?

Reciclagem de embalagens: pode brincar-se com temas sérios?

VISÃO Se7e: Os livros certos para as férias de verão

VISÃO Se7e: Os livros certos para as férias de verão

Homem do Leme: Artifícios

Homem do Leme: Artifícios

Equipa do Técnico conquista segundo lugar em competição  de barcos elétricos

Equipa do Técnico conquista segundo lugar em competição de barcos elétricos

O visual roqueiro de Vanessa Oliveira no NOS Alive

O visual roqueiro de Vanessa Oliveira no NOS Alive

5 formas de incluir um lenço no seu look

5 formas de incluir um lenço no seu look

De novo num

De novo num "jumpsuit", Charlene do Mónaco revela o seu lado mais sedutor

ChatGPT chega a todos os Peugeot equipados com comandos de voz

ChatGPT chega a todos os Peugeot equipados com comandos de voz

As tendências que tornam os looks de verão alegres

As tendências que tornam os looks de verão alegres

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

Adia várias vezes o alarme de manhã? O problema que pode estar por detrás da

Adia várias vezes o alarme de manhã? O problema que pode estar por detrás da "mania"

Mariana de “Casados à Primeira Vista” celebra 25 anos: 25 fotografias que mostram toda a sua beleza

Mariana de “Casados à Primeira Vista” celebra 25 anos: 25 fotografias que mostram toda a sua beleza

O caminho para o inferno está cheio de paletas de artistas!

O caminho para o inferno está cheio de paletas de artistas!

25 peças para receber a primavera em casa

25 peças para receber a primavera em casa

De novo num

De novo num "jumpsuit", Charlene do Mónaco revela o seu lado mais sedutor

Quis Saber Quem Sou: Será que

Quis Saber Quem Sou: Será que "ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais?"

Elisabete Moutinho conta como descobriu a gravidez do segundo filho:

Elisabete Moutinho conta como descobriu a gravidez do segundo filho: "Não planeámos"

Amendoim: Os benefícios inesperados do consumo desta oleaginosa

Amendoim: Os benefícios inesperados do consumo desta oleaginosa

Medicamentos com semaglutido, como o Ozempic, que se popularizou para a perda de peso, associados a novo efeito secundário grave

Medicamentos com semaglutido, como o Ozempic, que se popularizou para a perda de peso, associados a novo efeito secundário grave

Drone solar mais pequeno do mundo levanta voo

Drone solar mais pequeno do mundo levanta voo

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Quem tinha mais poderes antes do 25 de Abril: o Presidente da República ou o Presidente do Conselho?

Como as alterações climáticas estão a mexer com o tempo (mas não com o tempo em que está a pensar)

Como as alterações climáticas estão a mexer com o tempo (mas não com o tempo em que está a pensar)

Os alfaiates de violinos

Os alfaiates de violinos

VISÃO Júnior de junho de 2024

VISÃO Júnior de junho de 2024

Letizia, Leonor e Sofia, três

Letizia, Leonor e Sofia, três "looks" bem distintos

Sustentabilidade: Este mar que se esgota

Sustentabilidade: Este mar que se esgota

Em São Paulo, uma casa com ambientes luminosos e integrados

Em São Paulo, uma casa com ambientes luminosos e integrados

Rover Curiosity descobre cristais de enxofre puro em Marte

Rover Curiosity descobre cristais de enxofre puro em Marte

As francesas adoram estes cortes de cabelo

As francesas adoram estes cortes de cabelo

“É o trabalhador quem escolhe a empresa, e não a empresa que escolhe o trabalhador”

“É o trabalhador quem escolhe a empresa, e não a empresa que escolhe o trabalhador”

Cacau diz a Tiago que Marquinho é seu filho:

Cacau diz a Tiago que Marquinho é seu filho: "Agora somos uma família"

Uma sala a céu aberto

Uma sala a céu aberto

Recanto para viver ao ar livre

Recanto para viver ao ar livre

Zunder, a aplicação para carregar o carro por toda a Europa, chega a Portugal

Zunder, a aplicação para carregar o carro por toda a Europa, chega a Portugal

10 animais que resistem ao calor

10 animais que resistem ao calor

Recorde as melhores fotos do príncipe George no dia em que celebra o seu 11º aniversário

Recorde as melhores fotos do príncipe George no dia em que celebra o seu 11º aniversário

"Um Domingo Interminável": Um olhar sobre o submundo de Roma no formato de um filme aventuroso e trágico

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites