Telescópio James Webb galáxia mais distante Exame Informática
Exame Informática

Telescópio James Webb descobre a galáxia mais distante

Através do Telescópio James Webb da NASA, astrónomos encontraram uma galáxia que se formou a apenas 290 milhões de anos após o Big Bang

Exame Informática
Exame Informática

O que veio primeiro: buracos negros ou galáxias?

Novas análises feitas com dados recolhidos pelo Telescópio Espacial James Webb prometem agitar o conhecimento atual sobre a formação das galáxias. Os buracos negros existem desde os primórdios dos tempos e deram origem a novas estrelas e galáxias

Sociedade

Cientistas descobrem um novo tipo de estrelas no coração da Via Láctea

Expelem nuvens de fumo, o que lhes valeu o nome de "old smokers", mas os investidores ainda não conseguem explicar este comportamento

Sociedade

Buraco negro mais distante e mais antigo alguma vez descoberto pode ajudar a resolver quebra-cabeças com milhares de milhões de anos

É a primeira vez que os astrónomos conseguem ver um buraco negro numa fase inicial de crescimento

Galáxia | James Webb | Espaço Exame Informática
Exame Informática

Como até as galáxias fazem reciclagem

Equipa internacional de cientistas descobriu evidências de que uma galáxia enorme está a reaproveitar materiais formadores de estrelas, provando-se que a reciclagem acontece também no espaço

Galáxia | James Webb | Espaço Exame Informática
Exame Informática

NASA encontra moléculas orgânicas complexas em galáxia com mais de 12 mil milhões de anos

Observações do Telescópio Espacial James Webb mostram vestígios de moléculas orgânicas complexas numa galáxia que surgiu 1,5 mil milhões de anos depois do nascimento do universo, marcando o recorde de antiguidade

Exame Informática
Exame Informática

Telescópio James Webb apanha nascimento explosivo de estrela em galáxia antiga

O telescópio espacial James Webb continua a fornecer material para os astrónomos analisarem e envia agora imagens de uma estrela em formação, numa galáxia antiga

Exame Informática
Exame Informática

Hubble deteta colisão de galáxias longínquas

Mesmo com a popularidade do Telescópio James Webb, o ‘velhinho’ Hubble continua a ser uma fonte de imagens impressionantes e espetaculares. As mais recentes ilustram uma colisão de galáxias a 670 milhões de anos-luz

Exame Informática
Exame Informática

Hubble capta imagem da teia de galáxias Abell 611

Numa altura de celebração do Halloween, o Telescópio Hubble capturou imagens de uma teia de galáxias conhecida por Abell 611 e que constitui um mistério que intriga os astrónomos

Mundo

O que o sinal semelhante a um "batimento cardíaco" de uma galáxia distante captado pela primeira vez pode dizer-nos sobre o universo?

Um grupo de astrónomos detetou um sinal de rádio que é emitido periodicamente “como um batimento cardíaco” e que tem a sua origem numa galáxia muito distante. Embora não seja a primeira vez que são captados sinais de rádio no universo, é a primeira vez que um é periódico. Levantam-se as questões: qual a causa deste sinal? E que segredos do universo poderá ajudar a desvendar?

Exame Informática
Exame Informática

Cientistas descobrem barreira no centro da Via Láctea

Uma barreira misteriosa está a bloquear os raios cósmicos na zona molecular central

Exame Informática
Exame Informática

Sinal de rádio vindo do centro da galáxia está a intrigar cientistas

Astrónomos na Austrália detetaram um misterioso sinal de rádio proveniente do centro da galáxia que está a deixar a comunidade intrigada. Quando o tentaram analisar com maior detalhe, desapareceu

Exame Informática
Exame Informática

Fogo de artifício galáctico: ESO revela as galáxias próximas

As observações foram obtidas com o auxílio do Very Large Telescope. As diferentes componentes das galáxias permitiram os astrónomos localizar as estrelas jovens e o gás que as circunda

Exame Informática
Exame Informática

Telescópio da NASA deteta quatro planetas misteriosos a flutuarem sem estrela

Observações do Telescópio Kepler de 2016 mostram uma misteriosa população de quatro planetas distantes a flutuar livremente, sem estarem ‘ligados’ a qualquer estrela