Sérgio Dias

Investigador Principal do Instituto de Medicina Molecular e Coordenador Científico do iMM-Laço Hub
Sérgio Dias licenciou-se em Biologia pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa em 1994 e doutorou-se em “Tumor Immunology” pela University College London, no Reino Unido, em 1998. Fez o seu pós-doutoramento no laboratório de Shahin Rafii na Cornell University Medical College em Nova Iorque, EUA, regressando a Lisboa em 2002, onde estabeleceu o seu laboratório independente, no Instituto Português de Oncologia (IPOLisboa), tendo também assumido a Direção do Departamento de Patologia Molecular do IPOLisboa durante 8 anos. Sérgio Dias é Investigador Principal do Instituto de Medicina Molecular (iMM) e Professor Associado Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa desde 2013, sendo também, desde 2014, co-diretor do Biobanco-CAML. O seu grupo de investigação foca-se nas interações entre o cancro e os seus “hospedeiros” e como o metabolismo de ambos influencia a progressão tumoral.
Opinião

Exercício físico e o risco de cancro

"Dados epidemiológicos demonstram inequivocamente que a prática de exercício físico, mesmo que moderado, ao longo da vida, resulta numa diminuição real do risco de desenvolver alguns cancros." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

As estatísticas e o cancro

"Quando falamos de 'risco', referimo-nos a uma probabilidade de que algo possa acontecer, não garantindo que tal venha de facto a acontecer." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

Radiação e cancro: para lá do visível

"Um tema que tem desafiado a comunidade científica e que tem causado alguma ansiedade na população em geral diz respeito ao possível efeito que a utilização (massiva!) de telemóveis possa ter no DNA das nossas células. Ou seja, no limite será que o uso de telemóveis pode causar danos no DNA, levando a morte celular ou ao aparecimento de determinados cancros?" A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

O cancro é contagioso?

"A ligação, nomeadamente com agentes infeciosos como vírus ou bactérias, está obviamente presente no imaginário comum, quando falamos de cancro. Será que realmente “apanhamos” cancro? E se assim for, será então contagioso?" A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

Os desodorizantes e o cancro da mama

"Não há qualquer relação cientificamente comprovada entre a aplicação tópica de desodorizantes ou de anti-perspirantes e o risco aumentado de desenvolver cancro da mama." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

Conhecemos melhor o Imperador

"O desafio de tornar o Cancro uma doença crónica, controlável, continua bem presente nos laboratórios e nos serviços clínicos espalhados pelo mundo, e podemos afirmar com segurança que nunca soubemos tanto sobre este “Imperador de todos os males.” A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

Dormência, hibernação e cancro metastático

"A formação de metástases, resultantes da progressão de um cancro, continua a ser o maior desafio para médicos oncologistas e cientistas que se dedicam ao estudo do cancro. Mas o que são metástases e porque é que o seu desenvolvimento tem tanto impacto biológico e clínico?" A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

Um violinista famoso e o cancro: ligações frágeis e inesperadas

"Uma das mais curiosas lendas atribuía o seu talento a um pacto que Paganini teria feito com o diabo: talento extraordinário em troca da sua alma. Parte dessa capacidade de Paganini esteve associada a ter contraído síndrome de Marfan: ele tinha dedos excepcionalmente longos e delgados, conseguindo tocar três oitavas, nas quatro cordas do violino, com uma mão." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

O Homem da Atlântida, a morte celular programada e o cancro

"O Homem da Atlântida apresentava de forma exuberante características que demonstravam a ausência de morte celular por apoptose, nomeadamente as suas membranas interdigitais." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

O cancro, a divisão celular e leveduras

"O que terão em comum leveduras, bebidas alcoólicas como a cerveja, e descobrir como é regulada a divisão celular? Como poderão ler nos parágrafos seguintes, bastante." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

Shakespeare, medula óssea, leucemias e terapias dirigidas

"Na segunda metade do século XX, dá-se uma autêntica revolução no diagnóstico e no tratamento de uma das leucemias crónicas mais comuns, a leucemia mieloide crónica." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

Laços e cancro: Outubro, o mês cor de rosa

"O laço cor de rosa representa a coragem (das doentes) de enfrentar o cancro da mama, mas é sobretudo um alerta para a importância que tem a utilização de fundos públicos e privados no apoio à investigação focada nas causas e mecanismos do cancro da mama." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

O Cancro, doença genética

"Quando recebemos a notícia de que alguém próximo ou que conhecemos tem cancro, muitas vezes, surge a pergunta se há mais casos na família. Temos quase como certo que o cancro “passa” de pessoas para pessoas. Na verdade, estima-se que apenas cerca de 10% dos cancros sejam hereditários." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular

Opinião

Micróbios e o cancro: uma relação com história

A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular, na nova coluna sobre cancro: "Foi possível perceber que certos cancros, o cancro da mama por exemplo, têm maior diversidade de microorganismos que outros como o cancro do pulmão"

Opinião

Imunoterapia e cancro: da promessa à realidade

"Há pouco mais de um mês foi publicado um estudo que demonstrava de forma muito clara a eficácia de um tipo de imunoterapia no tratamento de um subtipo de tumores do reto." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular, na nova coluna sobre cancro

Atualidade

Cancro: Persistência, estabilidade e vasos sanguíneos

"Ao promover a expansão dos vasos sanguíneos, as células tumorais mantêm o acesso ao oxigénio e nutrientes, podendo multiplicar-se, crescer, favorecendo a progressão tumoral." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular, na nova coluna sobre cancro

Opinião

Afinal, o que é o cancro?

"A descrição de casos de cancro em textos médicos com milhares de anos diz-nos que o 'cancro' é presença natural, na vida humana, e dá-nos (ainda) pistas para uma melhor compreensão dos mecanismos que explicam o aparecimento e a progressão destas doenças." A opinião de Sérgio Dias, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular, na nova coluna sobre cancro