Arte e arquitetura (ou vice-versa) nas duas primeiras exposições na Ala Álvaro Siza

Arte e arquitetura (ou vice-versa) nas duas primeiras exposições na Ala Álvaro Siza

É ao som da frase “this is what this is”, numa encomenda sonora feita a Luísa Cunha, que se atravessa o corredor-ponte entre o museu e a nova Ala Álvaro Siza. “Uma boa forma de entrarmos na exposição, porque a Coleção de Serralves é o que é”, sublinha o diretor do Museu de Arte Contemporânea, Philippe Vergne, enquanto enaltece o facto de Anagramas Improvavéis – que ocupa todo o piso 1 do novo edifício desenhado por Álvaro Siza, com mais de 160 obras – se iniciar com “uma artista portuguesa”. Sem preocupação cronológica, a primeira mostra da Coleção de Serralves, que se junta a C.A.S.A. no piso 0, dedicada ao próprio arquiteto, propõe “diálogos improváveis entre artistas que talvez não tenham tido oportunidade de se conhecer uns aos outros”, facilitados pela arquitetura de dezenas de salas onde uma caixa de luz irrompe do teto ou da janela. “Ter uma coleção permanente não é o mesmo que expor uma coleção que roda, roda, roda. Ele [Álvaro Siza] entendeu isso muito bem e criou espaços flexíveis”, nota o diretor e um dos curadores desta exposição, cujo título parte da relação com a linguagem de artistas como Ana Hatherly e E. M. de Melo e Castro.

Em cada sala, cruzam-se obras de dois ou mais autores, desde meados dos anos 60 do século passado até aos dias de hoje, com algumas das mais recentes aquisições, caso dos trabalhos de Alexandre Estrela, Arthur Jafa, João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira, João Maria Gusmão & Pedro Paiva, Juliana Huxtable, Korakrit Arunanondchai, Zanele Muholi e de Martine Syms, cujas impressões em vinil sobre a saturação das imagens digitais, Misdirected Kiss, forram de cima a baixo a parede da sala onde Siza rasgou um triângulo com vista para o parque. Pedro Cabrita Reis dialoga com desenhos recentes de Julie Mehretu, Ana Jotta com Ângelo de Sousa, Lourdes Castro com Joan Jonas, Miroslaw Balka com Paulo Nozolino, Paula Rego (as sete telas Possessão I-VII) com Julião Sarmento, ou, entre muitos outros, Álvaro Lapa com Giovanni Anselmo, que se reencontram frente a frente depois de Circa 1968, a exposição inaugural do Museu de Serralves (1999) “considerada a Bíblia”, sublinha Phillipe Vergne, e sobre a qual é prestado “um tributo” numa sala coletiva com Helena Almeida, Ana Hatherly ou António Barros.

As (muitas) casas de Siza

A obra de Philippe Parreno (um piano que toca ao ritmo de luzes e balões em forma de peixe) leva-nos ao piso dedicado à arquitetura e à obra de Siza Vieira. É dele, aliás, que veremos três autorretratos de diferentes épocas nas três entradas possíveis de C.A.S.A., acrónimo de Coleção Álvaro Siza, Arquivo. Dividida em nove grandes temas (o número evoca os 90 anos do arquiteto), esta gigantesca exposição é uma viagem à obra e à vida do primeiro Pritzker português. “Se alinhássemos todos os trabalhos, teríamos um quilómetro”, diz António Choupina, arquiteto e curador desta mostra que pretende “tocar um público mais largo, que nem sempre vê exposições de arquitetura”.

Desenhos de Álvaro Siza em várias épocas incluem a maior exposição feita a partir do arquivo do Pritzker

Além dos nove núcleos (Casas de Família, do Povo, de Lazer, do Conhecimento, do Comércio, do Trabalho, da Fé, da Cultura, dos Artistas), há um dedicado à própria Fundação de Serralves, Voltar a Casa. A maioria deste acervo vem, aliás, do Arquivo de Serralves, no qual o arquiteto depositou parte do seu trabalho de décadas, em conjunto com a Fundação Calouste Gulbenkian e o Centro Canadiano de Arquitetura. “É a primeira grande exposição a partir do arquivo”, sublinha Choupina. As restantes obras pertencem à Coleção de Serralves, como os primeiros desenhos e aguarelas feitos pelo arquiteto nos anos 40-50, à guarda da irmã, Teresa Siza (aqui depositados desde 2021), além de uma centena de desenhos mais tardios de Álvaro Siza, de 1980 a 2010. Das Quatro Casas (1954-60), em Matosinhos, ao primeiro arranha-céus de Álvaro Siza em Nova Iorque acabado de construir (611 West 56th Street), percorrem-se obras de Siza em todo o mundo, com vários projetos não construídos pelo meio, desde os primeiros esboços a maquetas finais apresentadas sobre pedestais de metal espelhado. “O arquiteto Álvaro Siza é de uma modéstia tal que era incapaz de colocar a sua arquitetura num pedestal. Coloquei-a eu por ele”, explica António Choupina.

Anagramas Improváveis – Obras da Coleção de Serralves e C.A.S.A. Coleção Álvaro Siza, Arquivo > Museu de Arte Contemporânea de Serralves > R. D. João de Castro, 210, Porto > até agosto, seg-sex 10h-18h, sáb-dom e fer 10h-19h > €12 > serralves.pt

Mais na Visão

Mais Notícias

Bougain: Um ano a reavivar a História em Cascais

Bougain: Um ano a reavivar a História em Cascais

David e Daniela trocaram o primeiro beijo na boca no “Big Brother”

David e Daniela trocaram o primeiro beijo na boca no “Big Brother”

Estivemos no Oeiras Eco-Rally ao volante de dois Peugeot (e vencemos uma etapa)

Estivemos no Oeiras Eco-Rally ao volante de dois Peugeot (e vencemos uma etapa)

Vida ao ar livre: guarda-sol Centra

Vida ao ar livre: guarda-sol Centra

Semana em destaque: Musk volta a gritar

Semana em destaque: Musk volta a gritar "Carro autónomo", mas poucos acreditam

Catarina Gouveia junta amigas na Comporta para evento especial

Catarina Gouveia junta amigas na Comporta para evento especial

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

A meio caminho entre o brioche e o folhado, assim são os protagonistas da Chez Croissant

Tempo de espera para rede de cuidados continuados aumentou em 2022

Tempo de espera para rede de cuidados continuados aumentou em 2022

Fed e BCE em direções opostas?

Fed e BCE em direções opostas?

A reinvenção das imagens

A reinvenção das imagens

As escolhas de guarda-roupa de Letizia e Máxima durante a visita do reis de Espanha aos Países Baixos

As escolhas de guarda-roupa de Letizia e Máxima durante a visita do reis de Espanha aos Países Baixos

AOC entra no segmento dos monitores para profissionais de multimédia

AOC entra no segmento dos monitores para profissionais de multimédia

Lisboa através dos tempos na VISÃO História

Lisboa através dos tempos na VISÃO História

Parcerias criativas, quando a arte chega à casa

Parcerias criativas, quando a arte chega à casa

Rir é com ela!

Rir é com ela!

Catarina Gouveia junta amigas na Comporta para evento especial

Catarina Gouveia junta amigas na Comporta para evento especial

Vencedores do passatempo ‘A Grande Viagem 2: Entrega Especial’

Vencedores do passatempo ‘A Grande Viagem 2: Entrega Especial’

25 peças para receber a primavera em casa

25 peças para receber a primavera em casa

Na CARAS desta semana, o casamento de sonho de Dânia Neto e Luís Matos Cunha

Na CARAS desta semana, o casamento de sonho de Dânia Neto e Luís Matos Cunha

João Abel Manta, artista em revolução

João Abel Manta, artista em revolução

Morreu o jornalista Pedro Cruz

Morreu o jornalista Pedro Cruz

Ministra não tem limites 'a priori' nas negociações com médicos, enfermeiros e farmacêuticos

Ministra não tem limites 'a priori' nas negociações com médicos, enfermeiros e farmacêuticos

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

Teste em vídeo ao Volkswagen ID.7 Pro

MAI apela à limpeza dos terrenos rurais

MAI apela à limpeza dos terrenos rurais

Carla Andrino e o marido brilham no casamento de Dânia Neto

Carla Andrino e o marido brilham no casamento de Dânia Neto

Dânia Neto abre o álbum de casamento:

Dânia Neto abre o álbum de casamento: "Bolha de amor"

Truques para estimular a produção natural de colagénio

Truques para estimular a produção natural de colagénio

A gestão aos gestores

A gestão aos gestores

GNR apreende 42 quilos de meixão em ação de fiscalização rodoviária em Leiria

GNR apreende 42 quilos de meixão em ação de fiscalização rodoviária em Leiria

Fotógrafa Annie Leibovitz membro da   Academia Francesa das Belas Artes

Fotógrafa Annie Leibovitz membro da   Academia Francesa das Belas Artes

Mobi.E e Atlante assinam acordo para carregamento de carros elétricos

Mobi.E e Atlante assinam acordo para carregamento de carros elétricos

No tempo em que havia Censura

No tempo em que havia Censura

25 de Abril, 50 anos

25 de Abril, 50 anos

As Revoluções Francesas na VISÃO História

As Revoluções Francesas na VISÃO História

3 limites que todos os casais devem ter

3 limites que todos os casais devem ter

Como ajudar um amigo com cancro?

Como ajudar um amigo com cancro?

Torel Palace em Lisboa: Um hotel perto do céu

Torel Palace em Lisboa: Um hotel perto do céu

Quando a cantiga foi uma arma

Quando a cantiga foi uma arma

Ratos velhos, sistema imunológico novinho em folha. Investigadores descobrem como usar anticorpos para rejuvenescer resposta imunitária

Ratos velhos, sistema imunológico novinho em folha. Investigadores descobrem como usar anticorpos para rejuvenescer resposta imunitária

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Os nomes estranhos das fobias ainda mais estranhas

Sofia Manuel, a cuidadora de plantas

Sofia Manuel, a cuidadora de plantas

Casa da Companhia: um hotel de charme com raízes históricas

Casa da Companhia: um hotel de charme com raízes históricas

VOLT Live: Atlante, o operador que quer ter a maior rede de carregamento rápido e ultrarrápido

VOLT Live: Atlante, o operador que quer ter a maior rede de carregamento rápido e ultrarrápido

DS E-Tense Performance: Serão assim os superdesportivos do futuro?

DS E-Tense Performance: Serão assim os superdesportivos do futuro?

Tarifário da água no Algarve abaixo da média nacional é erro crasso -- ex-presidente da APA

Tarifário da água no Algarve abaixo da média nacional é erro crasso -- ex-presidente da APA

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites