Anushka, a artista alemã que deixa mensagens poéticas em colchões abandonados

Anushka, a artista alemã que deixa mensagens poéticas em colchões abandonados

A alemã Anuskha anda há dois anos a deixar mensagens poéticas em colchões abandonados. Encontra-os, trabalha-os, fotografa-os e divulga essas imagens numa conta de Instagram que vale a pena conhecer, a @dear.anuskha. O projeto é a soma de várias paixões, a fotografia, o teatro e a poesia, que se juntaram de forma quase acidental. “So this is Christmas and what have you done? War is not over and the next already begun”, ou “Break my heart and serve me a drink”, são duas das mais de duzentas frases que Anushka já pintou em colchões espalhados por todo o país. A matéria de trabalho fica no local, mas as fotografias são colecionadas e já deram origem a uma primeira exposição a solo, Chaos, stains, and stupid feelings, a mattress collection of longing for lovers & losers, inaugurada a 13 de janeiro na galeria Little Chelsea, em Lisboa, e que está patente até dia 10 de março. Um mês depois, integrou uma nova exposição coletiva na galeria Plato, em Évora, para onde levou um colchão pintado com uma lata de tinta.

Anushka, de 41 anos, é natural da Alemanha e mora em Portugal há seis anos. Viveu cinco anos entre a Zambujeira do Mar e São Luís – “podia ouvir o oceano da minha cama” – e há cerca de um, elegeu Lisboa para ficar. Ainda antes da sua chegada a Portugal, frequentou a escola de representação, depois estudou Arte e Música com ênfase na Fotografia e no Canto, assim como Literatura Alemã e tanto antes, como durante os estudos, trabalhou como jornalista. Quando acabou de estudar, decidiu mudar de rumo e seguir teatro. Na verdade, “eu queria ser atriz, mas não me tornei atriz”, trabalhando antes como assistente de diretora de palco no Deutsches Theater, em Berlim, até a vida a trazer rumo a Portugal.     

Uma das suas obras, fotografada pela própria

Atualmente, é mãe, gere contas nas redes sociais, pontualmente faz traduções e escreve poemas, sobretudo na língua com que se sente mais confortável, o alemão. “No meu coração, sou poeta.” Acredita que os poemas não devem ser traduzidos, pois assim, diz, “perdemos toda a beleza das palavras”. E foi neste contexto que, de forma não intencional, desenvolveu um projeto artístico feito em colchões. 

Fotografia de Anushka, de março de 2023

Tudo começou com um colchão abandonado por uns amigos e uma lata de tinta. Viviam-se tempos de pandemia, os amigos estavam no Alentejo e o colchão encontrava-se “encostado à parede”, relembra. “Eu vi-o e era um dia estanho, cinzento, frio e senti que lhe gostaria de dar uma voz, poderia simplesmente escrever qualquer coisa.” Por mero acaso ou destino, os seus amigos também tinham uma lata de tinta e, sem saber muito bem ainda que palavras usar, escreveu algo que naquela altura lhe fez sentido. “Foi o meu primeiro colchão e desde aí que ando sempre com uma lata de tinta na mala”. 

Fotografia de Anushka com o seu cão Cheesey

Mas afinal, porquê colchões? “Preocupa-me o mundo, o lixo e a poluição que estamos a fazer, nunca seria capaz de deixar um colchão na natureza”. Para além disto, fascina-se por certos objetos, exemplo da máquina de escrever que usa regularmente. “Nunca gostei da minha letra, por isso comecei a escrever em máquinas de escrever, não queria que a minha letra influenciasse a minha forma de pensar ou de sentir, o que foi uma liberdade”. Porém, “sou uma colecionadora” e por isso tem mais de quarenta máquinas de escrever diferentes. “Se eu gostar de um objeto, preciso de ter uma série deles, apenas um, não faz sentido”. Os colchões não foram exceção. São os pormenores nos colchões portugueses que a fascinam, “são lindíssimos, os colchões portugueses. Para mim, como objetos, são peças de arte”. Encantam-lhe as suas variadas texturas e padrões, com flores miudinhas e botões, “às vezes levemente dourados”, outras vezes rosados. No entanto, por falta de espaço não os pode levar para casa. Na sua mais recente exposição em Évora, está exibido um colchão que foi encontrado, pintado e fotografado no Templo Diana.

Colchão exposto na galeria Plato, encontrado na cidade de Évora e fotografado em frente do Templo Diana
Um dos colchões até agora preferidos de Anushka pelos seus múltiplos e indescritíveis pormenores

Sem os procurar, os colchões encontram-na e Anushka, com o material sempre à mão, pinta-os, fotografa-os e deixa-os no mesmo local, “simplesmente encontro-os e deixo-os onde os encontrei”. Aquilo que neles escreve é criação sua e “depende da situação, às vezes tenho uma coleção de palavras e frases na minha cabeça ou no meu telemóvel, outras vezes encontro os colchões num contexto muito particular ou ainda pode depender totalmente do colchão em si”. Esta é a técnica sem técnica da Anushka, ela não pretende alterar o natural, mas sim moldar-se àquilo que o natural e o inevitável proporcionam. A primeira e única vez em que Anushka moveu de forma propositada um colchão de sítio, foi por ter encontrado o colchão perto da praia e ter pensado “consigo fazer uma fotografia melhor”. Então, “coloquei o colchão esborrachado dentro do carro, conduzi até à praia e encontrei uma rapariga que passava no parque de estacionamento e pedi-lhe que se pusesse atrás do colchão e o segurasse para poder tirar uma fotografia”.   

“Para mim é como se fosse um momento íntimo, quando os vejo na rua, nus, expostos, têm historias, têm tanto para contar, gosto de lhes dar uma voz que eles possam de facto ter”. E Anushka sempre acompanhada pelo seu cão Cheesy e pela sua mala com latas de tinta, escolhe sempre percorrer a cidade de Lisboa a pé na esperança de ser surpreendida por aquilo que não procura, mas que acaba por encontrar.   

Anushka e o seu fiel companheiro Cheesey

*Texto de Mia Shore

Mais na Visão

Mais Notícias

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

Sede da PIDE, o último bastião do Estado Novo

Zona: Três mitos sobre esta doença que pode ser incapacitante

Zona: Três mitos sobre esta doença que pode ser incapacitante

O futuro começou esta noite. Como foi preparado o 25 de Abril

O futuro começou esta noite. Como foi preparado o 25 de Abril

Comer em Lisboa: restaurante Kabuki

Comer em Lisboa: restaurante Kabuki

SIC obrigada a apagar imagens de Daniel e Sónia em “Casados à Primeira Vista”

SIC obrigada a apagar imagens de Daniel e Sónia em “Casados à Primeira Vista”

30 vestidos leves e frescos para um verão divertido

30 vestidos leves e frescos para um verão divertido

Onde ficar em Lisboa: Torel Palace

Onde ficar em Lisboa: Torel Palace

VISÃO Se7e: 19 sítios para ver os jogos do Euro 2024 – e torcer por Portugal

VISÃO Se7e: 19 sítios para ver os jogos do Euro 2024 – e torcer por Portugal

Rock in Rio reage às expulsões de Bárbara Guimarães e Sónia Tavares da tenda vip

Rock in Rio reage às expulsões de Bárbara Guimarães e Sónia Tavares da tenda vip

15 tendências de moda que vimos no Rock in Rio

15 tendências de moda que vimos no Rock in Rio

Vídeo: Vê aqui o espetáculo de 'Miúdos a Votos' 2024

Vídeo: Vê aqui o espetáculo de 'Miúdos a Votos' 2024

Como as poeiras do Saara podem ajudar a impedir furacões

Como as poeiras do Saara podem ajudar a impedir furacões

A importância da Formação de Executivos

A importância da Formação de Executivos

Girl Talk: Vamos rebentar as nossas bolhas?

Girl Talk: Vamos rebentar as nossas bolhas?

Maria João e Elisabete divertem-se após saírem de “Casados à Primeira Vista”

Maria João e Elisabete divertem-se após saírem de “Casados à Primeira Vista”

Requintado jantar assinala inauguração da nova exposição de Joana Vasconcelos na Boutique Dior, em Lisboa

Requintado jantar assinala inauguração da nova exposição de Joana Vasconcelos na Boutique Dior, em Lisboa

19 sítios para ver os jogos do Euro 2024 (e torcer pela Seleção Nacional)

19 sítios para ver os jogos do Euro 2024 (e torcer pela Seleção Nacional)

Withings Body Scan em teste: Esta balança faz um 'raio-x' ao corpo

Withings Body Scan em teste: Esta balança faz um 'raio-x' ao corpo

"O Homem dos Teus Sonhos" - ou quando Nicholas Cage não nos sai da cabeça

Aromas de verão para a casa

Aromas de verão para a casa

EXAME de junho: Quais as regiões que mais exportam?

EXAME de junho: Quais as regiões que mais exportam?

Os melhores momentos do Trooping the Colour, marcado pelo regresso de Kate

Os melhores momentos do Trooping the Colour, marcado pelo regresso de Kate

Navegando rumo ao futuro digital do oceano

Navegando rumo ao futuro digital do oceano

Mulheres confiantes antecipam o verão em fim de tarde à beira-mar

Mulheres confiantes antecipam o verão em fim de tarde à beira-mar

Carros elétricos chineses deverão ficar mais caros

Carros elétricos chineses deverão ficar mais caros

Implante cerebral ajuda sobrevivente de AVC que perdeu a fala a comunicar de forma bilingue

Implante cerebral ajuda sobrevivente de AVC que perdeu a fala a comunicar de forma bilingue

Os festivais de verão

Os festivais de verão

Num dos próximos quatro anos, o planeta deverá mesmo exceder 1,5ºC de aumento de temperatura

Num dos próximos quatro anos, o planeta deverá mesmo exceder 1,5ºC de aumento de temperatura

Vídeo: Uma conversa sobre eleições com Rita Canas Mendes

Vídeo: Uma conversa sobre eleições com Rita Canas Mendes

Vencedores do passatempo 'Gru - O Maldisposto 4'

Vencedores do passatempo 'Gru - O Maldisposto 4'

JL 1400

JL 1400

Não precisa de ser um maratonista – bastam poucos minutos para alterar o metabolismo

Não precisa de ser um maratonista – bastam poucos minutos para alterar o metabolismo

João Paulo Esteves da Silva - O piano e todas as margens

João Paulo Esteves da Silva - O piano e todas as margens

A relação surpreendente entre o desempenho cognitivo das mulheres e a menstruação

A relação surpreendente entre o desempenho cognitivo das mulheres e a menstruação

Enhanced Conversions num mundo sem cookies

Enhanced Conversions num mundo sem cookies

20 anos depois, o que há de novo no Rock in Rio Lisboa

20 anos depois, o que há de novo no Rock in Rio Lisboa

Desgosto sentido por alguns fãs após o final de séries de televisão é semelhante ao da perda de entes queridos

Desgosto sentido por alguns fãs após o final de séries de televisão é semelhante ao da perda de entes queridos

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

De Zeca Afonso a Adriano Correia de Oliveira. O papel da música de intervenção na revolução de 1974

Os sorrisos de Kate no regresso à vida pública

Os sorrisos de Kate no regresso à vida pública

Alexandra e Flávio de

Alexandra e Flávio de "Casados à Primeira Vista" juntos nos Santos Populares: "Viemos namorar"

Filho mais novo dos príncipes Carl Philip e Sophia da Suécia inaugurou o seu próprio parque

Filho mais novo dos príncipes Carl Philip e Sophia da Suécia inaugurou o seu próprio parque

Dior apresenta coleção Cruise Collection 2025

Dior apresenta coleção Cruise Collection 2025

Nova app MyHyundai até vai mostrar vídeos das intervenções técnicas

Nova app MyHyundai até vai mostrar vídeos das intervenções técnicas

Inster será o 100% elétrico mais acessível da Hyundai

Inster será o 100% elétrico mais acessível da Hyundai

WhatsApp já aceita videochamadas com 32 participantes

WhatsApp já aceita videochamadas com 32 participantes

Parceria TIN/Público

A Trust in News e o Público estabeleceram uma parceria para partilha de conteúdos informativos nos respetivos sites